-

"Engolimos de uma vez a mentira que nos adula e bebemos gota a gota a verdade que nos amarga." Denis Diderot

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Prefiro esses

OS FLINTSTONES COMPLETAM 50 ANOS


O clássico da Hanna-Barbera é uma das animações mais conhecidas em todo o mundo

Por Edu Almeida e Arianne Brogini


“Yaba daba doo”. Impossível alguém não saber quem é o dono desse grito. Fred Flintstone e sua família estrearam na TV americana exatamente no dia 30 de setembro de 1960 e mudaram o conceito de desenho animado. Sim, mudaram mesmo. Se hoje existe Os Simpsons, South Park, Uma Família da Pesada, entre outras, muito disso se deve a Os Flintstones. A série animada criada por William Hanna e Joseph Barbera foi a primeira voltada para o público adulto, tanto que originalmente era exibida no horário nobre – 20h30 – lá nos Estados Unidos.
Homenagem do google

Fonte: uol - Entretenimento
~~~~~~~~~~

~~~~~~
~~~~
~~
Quero ir...

"Ô, ô, seu moço do disco voador
me leve com você pra onde você for.
Ô, ô, seu moço mais não me deixe aqui
enquanto eu sei que tem tanta estrela por aí..."
(S.O.S. - Raul Seixas)


Reprodução divulgada pela Fundação Nacional de Ciência dos Estados Unidos mostra um novo planeta, divulgado por astrônomos nesta quarta-feira. Ele tem semelhanças com a Terra e apresenta condições de ter vida, já que não é tão quente, nem tão frio. O planeta está localizado em uma "zona habitável" em órbita da estrela Gliese 581, o que significa que pode existir água em sua superfície. (Zina Deretsky, National Science Foundation/AP)

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Sonhando... e com muito bom humor

"Digo a Deus que não posso pedir mais nada. Só gostaria de ter um casinho com o Roberto Carlos", diz Hebe



A risada é solta e fácil. A conversa acontece de forma desprendida. A maneira de se portar é de uma lady, apesar das roupas e acessórios extravagantes. Essa é Hebe Camargo, a dama da TV que aos 81 anos volta seu foco profissional para a música: ela vai lançar um DVD ao vivo e fará shows pelo Brasil.
A apresentadora vai gravar o DVD a partir de concertos que fará em São Paulo, no Credicard Hall, dia 27 de outubro, e no Rio de Janeiro, em 24 de novembro, no Citibank Hall. Hebe deve também sair em turnê a partir de março de 2011 por outras cidades brasileiras como Brasília, Belo Horizonte, Porto Alegre, Salvador e Recife.

Gravação

A ideia de fazer shows e transformar tudo em um material para o público assistir em casa foi do seu empresario e sobrinho, Claudio Pessuti. Entre os convidados que irão cantar com ela nos concertos estão Fábio Jr., Chitãozinho e Xororó, Daniel e Leonardo e Maria Rita. "São tantos convidados que eu amo, eu acho que vou ficar na platéia vendo", disse Hebe. "Nem sei o que vou fazer lá, acho que vou só assistir".
O CD que acompanhará o box do show já foi gravado e deve ser lançado em outubro. Já o DVD vai ser lançado em janeiro do ano que vem . Hebe lamenta apenas a ausência de Roberto Carlos na gravação do DVD, já que ele participou do CD. "Infelizmente ele não pode participar porque é contratado da Globo, mas a presença dele no CD já é muito gratificante", contou. "Já tive dois maridos, um filho, um sobrinho. Digo a Deus que não posso pedir mais nada. Só gostaria de ter um casinho com o Roberto Carlos. Eu só não sei se ele daria conta (risos)", brincou Hebe, quando perguntada se existe algum sonho ainda não realizado em sua vida.

Fonte: uol - celebridades

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Lá em Campinas


Sonhos, bandeiras e águias

Por José Flávio (colaborador)

Ando pelas ruas do centro de Campinas, cidade do interior paulista, distante cerca de 90 km de São Paulo, capital. Faz uma bela tarde de sol.
O centro da cidade está nervoso e agitado, como são agitados e nervosos todos os centros de todas as grandes cidades.
Apressadas, milhares de pessoas circulam pelas ruas. É o ritmo frenético da vida moderna. Que me desculpem os que criticam o progresso, mas há certo charme em tudo isso. Os motoristas mais nervosos buzinam ao volante. Contagiados por tamanha correria, não há mais paciência de esperar o sinal abrir. Ainda bem que existem os sinais de trânsito para colocar um pouco de ordem em toda essa desordem.
Fala-se muito da violência e das desigualdades que, iguais a ervas-daninhas, foram, discretamente, invadindo o jardim florido. Ganharam espaço e tornaram-se calo nas mãos de quem administra e de quem usufrui desse jardim. Por causa dessas ervas-daninhas, os grandes centros perderam um pouco da poesia.
Deixemos de lado as ervas-daninhas. Não desejo tratar delas nessa crônica.
Trato dos sinais de vida que despontam em meio a toda a agitação envolvente do centro da cidade. Há um sabor de intensidade em tudo isto. E, quando penso nisso, não pretendo me referir aos planos mirabolantes, à adrenalina que pulsa nas veias daqueles que se entregam aos esportes radicais, fazendo bem ao corpo e à mente. Nem falo da intensidade da emoção de entrar na jaula de um leão sem ser domador. Isso nem seria emoção intensa, seria estupidez mesmo.
Falo de gestos simples captados pelos meus olhos; em meio à multidão que sobe a Avenida Francisco Glicério, um casal de mãos dadas a sorrir: a evidente inocência da criança que, alheia ao movimento, saboreia um delicioso sorvete, enquanto alguns pingos do creme escorrem pela sua camiseta: a centenária Catedral de Campinas, rodeada pelas casas de comércio, me lembra que nem só de pão vive o homem.
Sinto vida nas pessoas caminhando ao meu lado. Da mesma forma que eu, elas têm sonhos e a esperança de realizá-los.
Olho para o alto de um edifício, e meus olhos divisam a imagem de uma flâmula verde, amarela, azul e branca que baila altiva ao sabor do vento. A simbologia manifestada traduz bem o que penso. Quatro cores retratam os anseios de paz, esperança e prosperidade, não apenas da gente de Campinas, mas de todo o povo brasileiro. Lindo pendão de esperança que se ergue soberano acima de nossas cabeças, como uma mãe gentil estende seu manto por sobre os filhos.
Olhando a bandeira que se eleva sobre a multidão apressada, lembro-me dos filhos desta pátria que se sublimaram ao cotidiano e alçaram vôo aos céus da glória. Como grandes águias, voaram alto, muitas vezes pairando em terras estrangeiras, erguendo o nome do nosso Brasil. Brasileiros tão grandes quanto a saudade de sua pátria que os consumia e devorava dia e noite.
Uma emoção me invade o peito ao lembrar que, nessas ruas por onde, caminho no momento, abarrotadas de gente e de automóveis andou, em passado distante, um adolescente assobiando melodias e marcando compassos. Campinas era conhecida, então, como Vila de São Carlos. O jovem a que me refiro era Antonio Carlos Gomes, ou simplesmente, Carlos Gomes. O jovem talento bebia nas fontes dos grandes mestres. Pensava em tornar-se um excelente músico. E conseguiu. Tonico como era carinhosamente chamado pelos amigos e familiares, não nasceu em berço de ouro; ao contrário, veio ao mundo em um lar simples e humilde, em 18 de Julho de 1836. Seu talento para as composições começou cedo: aos 18 anos compôs a Missa de São Sebastião. Ainda na mocidade fez composições mais próximas do popular: a modinha Quem Sabe? E o Hino Acadêmico, que o tornaram popular entre a juventude estudantil. As tramas do destino o levaram ao Rio de Janeiro. Lá compôs sua primeira ópera: A Noite do Castelo. Depois estreava a segunda ópera, Joana de Flandres: obteve grande sucesso nas duas empreitadas. Reconhecendo que estava diante de um grande talento, o imperador D. Pedro II lhe concedeu uma ajuda de custo para que pudesse aperfeiçoar seus dons musicais no exterior. Carlos Gomes escolheu a Itália. Brilhou com grande intensidade nos grandes teatros daquele país.
A ópera O Guarani(1870), baseado no romance homônimo de José de Alencar, foi um marco em sua carreira. Houve outros grandes sucessos também: Fosca (1873) Salvator Rosa(1874) e Maria Tudor(1879), Lo Schiavo(1889) e Condor(1891). Em 1892 compôs sua última obra: o belo poema vocal sinfônico Colombo. No fim de sua vida não teve o reconhecimento que merecia em sua própria pátria. De volta ao Brasil foi meio que deixado de lado. Por que? Coisas de política... Carlos Gomes tinha afeição e amizade para com o imperador D. Pedro II e a recíproca era verdadeira. Agora D. Pedro fora deposto e os republicanos estavam no poder. “Sabe como é, né? Esse cara era amigo do imperador. Melhor deixar ele de lado”. Que pena! Deixaram um gênio da música clássica. Um regente de primeira linha. Não encontrando apoio em Campinas, sua terra natal, foi acolhido em Belém do Pará aonde veio a falecer em 16 de setembro de 1886. Após a morte seu corpo foi trazido para Campinas, sua cidade natal, onde se encontra sepultado em um monumento-túmulo na praça Bento Quirino, no centro da cidade.
Poder-se-ia dizer que a vida de Carlos Gomes foi um drama tendo como palco a Monarquia. Foi entre escravos e senhores, nobres e plebeus que Carlos Gomes deu vazão a seu talento para composições.
Hoje, em algum lugar deste país, deste solo verde-amarelo, sob este céu azul e branco, devem estar nascendo outras águias. Que elas ajudem a difundir, com tinta de ouro e prata, a cultura, esse elo que contribui para unir povos e nações num só objetivo: a busca do belo e o respeito às diferenças.

Fotos: internet

domingo, 26 de setembro de 2010

Flower Power

"Todos querem o perfume das flores, mas poucos sujam as suas mãos para cultivá-las." (Augusto Cury)
Tenham todos um bom domingo e uma ótima semana!
Foto: Eliel Silva

sábado, 25 de setembro de 2010

Três meninas do Brasil

“Três meninas do Brasil, três corações democra
Tem moderna arquitetura ou simpatia mulata
Como um cinco fosse um trio, como um traço um fino fio
No espaço seresteiro da elétrica cultura.”
(Meninas do Brasil - Moraes Moreira e Fausto Nilo)

E assim os amigos falaram sobre Sâmya Rafaela (postagem do dia  16/09 - O vôo da Fênix)...

Anônimo disse...
Realmente Eliel, a Janis na bela voz da Sâmya foi de fazer viajar qualquer roqueiro que estivesse lá domingo... sei que foi de propósito...eu nesses anos de rock, quando escutei o primeiro acorde logo fiquei bom, mas assim que ela cantou tomei mais um gole para acordar..realmente esta menina vai transformar o som em nossa cidade que precisa valoriza-la... valeu e parabens Sâmya. (16 de setembro de 2010 14:52)

Anônimo disse...
Belíssima a apresentação da Sâmia no evento do Goto Seco. Confesso que fiquei boquiaberto com sua performance. Parabéns garota. Ilton Soares. (16 de setembro de 2010 20:12)

Dedé disse...
Conheço a Samya de muito tempo de muitas jornadas musicais, eu vivia me perguntando o porque que uma pessoa como ela com estava ainda no anonimato, bem rsrs, pode existir outros talentos na música ou não que ainda não sairam ou não tiveram oportunidade de aparecer. Mas estou querendo mesmo é parabenizar a Samya e dizer a mesma que vai chegar muito muito longe, basta ter oportunidade. Parabéns Samya.
(22 de setembro de 2010 14:21)

Anônimo disse...
Caro Amigo Eliel Silva, apesar de não podê estar presente no evento do goto seco por motivos superiores, tive o prazer de poder ouvir nossa querida amiga Sâmia no programa do ed na 87FM pela manhã antes de sair para Natal, e ainda consegui uma ligação, graças a minha insistência e da minha filha mais nova, que tem a quem puxar(tal pai, tal filha). Me emocionei muito, como sempre faço, quando vejo alguêm comentar sobre o alma de borracha, e ao ler no seu blog, quando vc falou daquela nossa apresentação no mercado públlico. Lembro ainda da Sâmia cantando as músicas do aha e emocionando todo o público presente. essa garota é D+. Quem sabe um dia, nós não poderiamos nos reunir ao menos uma vez, para matarmos a saudade com quase todos do alma, digo quase todos, porque nesse plano seria impossível contarmos com dois dos nossos queridos baixistas(DAVI e HUGO) que já passaram para o plano superior. Um grande abraço amigão, e parabéns amiga, vocês merecem tudo de bom. Do seu grande amigo Ozair(Bombeirinho). (23 de setembro de 2010 20:29)

Sâmya Rafaela disse...
Meus queridos eu tive que excluir o comentário que eu já havia feito, por que eu errei a data do evento no qual irei me apresentar... Correção (será amanhã dia 25/09) Além de mim terá a presença da Nossa querida Didé Rodrigues e Cristina de Holanda conto com a presença de todos vocês!!!
Mas eu quero dizer que amo muito todos vocês e eu acho que você Auzair está mais do que certo,vamos sim nos reunir para fazermos AQUELE SOM! Em outubro teremos muitas surpresas... ME AGUARDEM!!! (24 de setembro de 2010 10:15)

Anônimo disse...
Quando o assunto é Sâmia eu jamais poderia me calar ou se quer fechar meus ouvidos. Numa época em que ninguém a conhecia eu tive a coragem e a audácia de acreditar naquela minha aluna que mal era percebida num canto da sala de aula. Seu jeito de adolescente rebelde passava a aula inteira me desenhado e fazendo gracejos, mas os seus ouvidos com certeza estavam atentos as minhas aulas de Inglês e justamente daí começou a cantarolar algumas canções pelos corredores do colégio. Não tive nenhuma dúvida e logo a convidei para fazer um teste na saudosa banda ALMA DE BORRACHA da qual eu fazia parte. Sua estréia no Halloween do Ubaldo Bezerra foi um verdadeiro sucesso e logo então eu percebi o quanto aquela menina tinha talento e carisma. Posso afirmar que a partir desse momento a banda passou pela sua melhor fase e faltou muito pouco para que nosso sonho fosse concretizado. Dividi o palco com ela em muitos shows, mas eu era apenas uma sombra ao lado do seu sucesso. Isso não me incomodava. Do contrário, me deixava extremamente feliz em poder ver as pessoas cantando com ela e gritando o seu nome. Bons momentos que jamais esquecerei. Sinto muito pela banda não ter continuado devido a motivos que não valem à pena serem ditos. Hoje só resta a lembrança e a certeza de que fizemos a coisa certa que era justamente poder oferecer algo diferente e inusitado a nossa geração, já que a nossa cidade só valoriza o forró e a swingueira. Quero avisar que o rock ainda não morreu por aqui, está apenas adormecido. E que logo em breve ele estará de volta. Fico feliz por Sâmia ter despertado do sono, apesar de não está cantando rock, mas ela é a voz que não pode calar e nem ficar no anonimato. Sucesso garota e que DEUS te abençoe cada vez que você subir num palco pra mostrar o talento do qual tu fostes agraciada. Ionaldo Oliveira
(25 de setembro de 2010 18:33)

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Devolva-me (as minhas emoções)

“Não crê no cinismo, no populismo,
Fundamentalismo e economismo.
E agora seu voto desapareceu.
Desfilam corruptos em liberdade,
Você prisioneiro da honestidade,
Porém sua alma você não vendeu.”
(Campeão de Audiência – Leno Azevedo)

 
Meu nome é Gileno
(Leno ao vivo)

Na noite dessa quinta-feira, 23 de setembro, o potiguar Gileno Wanderley Azevedo – o Leno da Jovem Guarda, da famosa dupla Leno e Lilian – pisou o palco do auditório do Centro de Convenções de Natal (RN), com um “pequeno” atraso de uma hora, estava marcado para as 20h, mas é compreensível, para fazer um show histórico, gravado para ser o seu primeiro DVD. Três senhores, amantes daquelas simples canções, saíram daqui de Ceará-Mirim para prestigiar o cantor/compositor de tantos sucessos inesquecíveis. Eu, Edvaldo Morais e Erivan Lima “Seixas” éramos somente emoção, com direito até a tietagem. E por que não!


Leno, em mais de uma hora mostrou canções inéditas, algumas do seu mais recente cd “Canções com Raulzito”, com previsão de lançamento ainda para esse ano, músicas da sua carreira solo e, claro, as inesquecíveis baladinhas gravadas pela dupla na década de 60. Mas o que nos surpreendeu mesmo foi a produção do show, e não poderia ser diferente, afinal ficaria registrado para sempre. Som, luz, performance do cantor, competência dos músicos - todos potiguares – “porque os de fora viriam superfaturados”, como ironizou Leno, tudo contribuiu para o bom resultado que, finalizado o DVD (que conta com o incentivo da Lei Municipal Djalma Maranhão), todos poderão conferir.


Não sei se a gente vai “aparecer na fita”, mas uma coisa é certa: quando as palmas das pessoas presentes (o auditório estava praticamente lotado) se fizerem ouvir, a nossa contribuição vai estar ali. E como bons poetas que somos, diremos com toda convicção: vocês estão ouvindo aqueles aplausos mais sinceros? São os nossos!


Cleo Lima (guitarrista do pop rock potiguar)
Paulo Sarkis (baixista da banda Mad Dogs)
Zé Marcos (tecladista que já tocou com Cássia Eller e 14 bis)
Rafael Bender (baterista da banda Uskaravelho)
Neemias (saxofonista da banda Mad Dogs)
Marina e Manoela – backing vocal
Quarteto de Cordas, sob a regência do maestro Paraguai
Participação das cantoras Camila Masiso e Daniela Abreu, da banda Tricor

Créditos:
Texto: Eliel Silva
Fotos: Eliel Silva e Edvaldo Morais

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Sem "unhada"

"Superfantasticamente!
As músicas são asas da imaginação
É como a flor e a semente
Cantar que faz a gente
Viver a emoção."
(Superfantástico - Ignacio Ballesteros
/Difelisatti/Edgard Poças -
Gravação: A Turma do Balão Mágico)

 Superfantástico
 
Caro Eliel;

Como leitor assíduo de sua página virtual, o blog "retratos e canções", deparei-me com a postagem do último dia 14 intitulada "gente nada inocente", que aborda fatos da ex-apresentadora e cantora Simony, hoje candidata a deputada estadual por SP. A matéria e a música postada, remete com saudosismo a todos que, como eu, tiveram boa parte de suas infâncias embaladas pelas melodias do balão mágico nos anos 80. Segue em anexo uma foto deste velho telespectador do matinal Balão Mágico que diariamente levava a bordo toda uma geração a uma viagem de sonhos e fantasias infantis... Abraços!

Renato Martins
~~~~~~~
~~~~
~~
“Meu Bom Jesus dos Navegantes
Protetor e padroeiro
Na festa da boa viagem
Dia primeiro de janeiro.”
(Bom Jesus Dos Navegantes –
Composição: Walmir Lima /
Lupa – Gravação: Alcione)



Pois é, caro Renato Martins...


O Retratos & Canções tem essa particularidade: matérias leves escritas de forma nem sempre intencional, mas talvez com um “quê” que instiga o leitor mais atento e sensível a fazer uma viagem, seja através do tempo, absorvido em suas lembranças, seja para dentro de si mesmo, de igual maneira. Ainda pegando carona “nessa viagem”, remexendo em velhos álbuns de família, olha só o que encontrei: uma foto minha, bem menino, com Júnior, seu mano, mais menino ainda, posando junto aos históricos Canhões da Artilharia Portuguesa (não são Os Canhões de Navarone!), na praia de Touros (RN). Isso num daqueles 1º de janeiro, festa do Bom Jesus dos Navegantes, década de 70. Faz tempo!
Créditos:
1º texto: e-mail enviado por Renato Martins (blog Boca da Mata)
2º texto: Eliel Silva
Foto Balão Mágico: internet
Foto Simony e Renato: enviada pelo blogueiro
Foto Eliel e Júnior: arquivo de D. Suzana Nobre

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Mais natureza

"Estou no colo da mãe natureza
Ela toma conta da minha cabeça
É que eu sei que não adianta mesmo a gente chorar
A mamãe não dá sobremesa."
(Mamãe natureza - Rita Lee)

Natureza, e eu com isso?


Ao perguntar a um aluno do ensino primário o que ele entendia por natureza, a criança me respondeu que natureza eram as florestas, o mar, os rios e os peixes. Na sua santa inocência que a idade lhe permite, o garoto falou o que muitos adultos ignorantemente acreditam. Na sua compreensão, a criança não considerou o homem como parte da natureza.
A nossa sociedade antropocêntrica coloca-se exterior à natureza, e pior ainda, superior a ela. Nós Homo sapiens sapiens nos consideramos acima da natureza, que nesta visão resume-se a um conjunto de recursos naturais submissos às nossas necessidades. Certamente este é um dos maiores erros cometidos pelo homem, um dos fatores responsáveis pelo processo de degradação ambiental que vivemos atualmente. Enquanto acharmos que somos seres superiores e que a natureza é apenas um almoxarifado ao nosso dispor, a degradação ambiental tenderá a aumentar cada vez mais.
É preciso resgatar o sentimento de pertencimento à natureza. O homem, mesmo organizado socialmente não deixa de ser natureza, de ser parte deste grande sistema vivo. Somos indissociáveis dela, por mais que sejamos cada vez mais tomados pelas tecnologias. Vivemos numa sociedade tecnocrata, mas nossa essência é natureza.
Sabemos que as causas dos problemas ambientais vão muito além da percepção que temos sobre a natureza, mas certamente a partir do momento que nos sentirmos parte dela, teremos maior grau de responsabilidade e participação para a preservação dos recursos naturais, o que nos levará a ter outras atitudes ambientais, e, por conseguinte, cobraremos mais ações por parte dos gestores públicos e privados em prol da preservação ambiental. Que a utopia um dia se faça...

Ilton Soares (iltonet@yahoo.com.br)
Geógrafo
Mestre em Meio Ambiente e Desenvolvimento
* Texto enviado ao blog pelo seu autor. Também publicado no jornalzinho acima, produzido pelo pessoal do Goto Seco - Edição Nº 27 , setembro de 2010. http://www.gotoseco.blogspot.com/
* Foto natureza: internet

terça-feira, 21 de setembro de 2010

A natureza


“Admiro demais o beija-flor que com medo da cobra inimiga
Só constrói o seu ninho na urtiga, recebendo a lição do criador.
Observo a coragem do condor que nos montes rochosos come a presa.
Urubu, empregado da limpeza. Quanto é triste a vida do abutre:
Quando encontra um morto é que se nutre.
E quanto é grande e suprema a Natureza.”
(A Natureza - Zé Vicente da Paraíba e Passarinho do Norte)
Vida selvagem

Não é bom começar a semana assim... Mas, fazer o quê, se os fatos estão aí! Domingo passado, quando eu voltava da minha costumeira visita ao meu velho pai, subindo a Rua Luiz Ferreira (antiga Bacurau), presenciei uma cena incomum. Ali existe uma casa que está fechada já faz bastante tempo. Ora, é o suficiente para que algumas pessoas se achem no direito de jogar lixo de toda espécie naquele local. Ao me aproximar deparei-me com aquela cena até então inédita para mim naquela rua. E olha que morei ali por mais de trinta anos. Um bando de urubus fazia a festa disputando um saco plástico cheio de restos de galeto. De quem partiu esse presente de grego para incomodar os moradores daquela rua, não se sabe. O certo é que aquelas aves, tão providenciais quanto o próprio tempo, trataram de fazer a coleta. Limpeza! Foi assim que julguei aquela atitude instintiva daqueles abutres.

Como eu não dispunha naquele momento de uma câmera fotográfica, recorri a uma amiga que conversava comigo naquele momento, e que também se maravilhava (não sei se seria essa a expressão correta!) com a ação daquelas aves e, assim como eu, se irritava com a atitude de quem fez aquele gesto insano de jogar restos de galeto em plena via pública. Mas era muita coisa mesmo! Tanto que, ao passar por lá no outro dia, ainda havia cabeças de frango espalhadas no meio da rua. Nem mesmo os urubus deram conta de tanta carniça. Definitivamente, a selvageria não é mais uma característica exclusiva dos animais.


Em tempo: Pelo sim, pelo não, sábado passado eu vacinei o meu cão.

Créditos:
Texto: Eliel Silva
Fotos: Professora Zilene Lacerda

domingo, 19 de setembro de 2010

Congratulations

Retratos & Canções
10.000 acessos

Eliel,
Desta vez foi mera coincidência.
Ao acessar o R&C agora a noite verifiquei o contador de acessos marcando 10.000
Parabéns pelo feito.
Anexo o registro.
Edvaldo Morais

~~~~~~~~~~~~~~~
~~~~~~~~~~
~~~~
“Pavão misterioso
Nessa cauda
Aberta em leque
Me guarda moleque
De eterno brincar.
Me poupa do vexame
De morrer tão moço
Muita coisa ainda
Quero olhar...
(Pavão Mysterioso – Ednardo)
~~~~
~~~~~~~~~~
~~~~~~~~~~~~~~~~~~

“Com açúcar e com afeto”
Estava mesmo pensando em escrever algo para agradecer a todos pelos 10.000 acessos ao blog Retratos & Canções. Mas eu sempre achava que ia demorar um pouquinho para chegar a essa marca. De repente, recebo e-mail do amigo Edvaldo onde ele me felicita pelo feito. Foi quando me dei conta: em menos de um ano de existência, todos esses acessos. E o que é melhor: a certeza de que foram pessoas conscientes que por aqui aportaram nesses nove meses. Nove meses? Poxa, o tempo de uma gestação! Mas tudo foi tão corrido, e me pegou quase que de surpresa, e eu não havia escrito nada. Por isso vou arriscar um agradecimento ligeiro, como ligeiro é o amor e tão passageira essa vida.
Bom, uma vez escrevi, acho que foi nesse mesmo blog, que a todos vocês que acessam essas páginas eu guardaria no mais alto andar do meu coração. A afirmativa ainda é a mesma, com uma ressalva: é que em se tratando dessa coisa de coração, eu já nem sei qual a melhor localização pra se guardar alguém que tanto estimamos. Será mesmo no topo ou melhor seria na base? Seja como for, e que seja como flor, tenho todos vocês aqui. Leitores e colaboradores, não cito nomes para não correr o risco de me esquecer de algum, o que seria uma injustiça. Aos amigos blogueiros que colocaram o link do R&C em seus blogs, por livre e espontânea vontade, e isso é muito bom. E até quem por aqui passou certa vez, mas percebeu que era um blog pequeno demais diante das suas expectativas e dos seus anseios, e simplesmente nunca mais o acessou. Sou muito grato também a esse raríssimo visitante. Assim a gente se poupou, e isso basta. No mais, “é só alegria”, como diria um amigo nosso, que vive de bem com a vida. As coisas estão difíceis, sabemos muito bem, mas “a gente vai contra a corrente até não poder resistir”, como cantou o Chico. Só tenho mesmo que agradecer a todos. E não se percam de mim!

sábado, 18 de setembro de 2010

Ontem... Hoje... Amanhã...

Ontem...


Rebelde com causa

Sua rebeldia só não é maior que o seu talento e amor pelas artes. Ruy Lima, natural de Mineiro, um cearamirinense apaixonado pelo torrão natal, pode-se dizer que já fez de tudo um pouco, ou muito, se levarmos em conta que, de artista plástico a escritor, de cantor de rock a ator, e agora cineasta, essa figura irrequieta não tem dado chance ao desânimo. As dificuldades do caminho ele enfrenta com garra, é aí que entra sua rebeldia, chega a ser um mal necessário. Nessa noite de sexta-feira, 17 de setembro, Ruy conseguiu mais uma proeza: praticamente lotar a sala da Estação Cultural Prefeito Roberto Varela (antiga estação ferroviária), e olha que o espaço é bastante grande, para a estréia do seu filme Motociclistas Rebeldes.


E todos estavam lá, ou quase todos. Mas muito me admirou ver pessoas de vários segmentos da nossa sociedade prestigiando aquele acontecimento inédito. Os presentes: o roqueiro, o executivo, o motociclista, o educador, o blogueiro mais atento, o estudante e, por incrível que pareça, nenhum político (parece que o cara também é milagreiro!). Ruy Lima era só emoção. Depois de quinze anos de afastamento do mundo dos espetáculos, para sua surpresa, consegue juntar tanta gente distinta em torno de um evento seu que na verdade foi idealizado por uma boa causa. Com o objetivo de contar um pouco sobre essa sua mais nova paixão, o motociclismo, incluindo cenas em que estão sempre presentes os monumentos históricos de Ceará-Mirim, uma oportunidade de mostrar essas belezas, apesar de alguns deles hoje encontrarem-se em ruínas, mesmo assim divulgar esse nosso patrimônio em todo o Brasil e quem sabe, no mundo. Depois de conferir mais essa façanha do Ruy cheguei a conclusão de que, seja a pé, num velho fusca ou montado em sua moto, esse cara vai longe... Parabéns Ruy Lima!

Fotos e mais detalhes sobre o evento ainda essa semana no portal da Fundação Cultural Nilo Pereira -Grande Ceará-Mirim (http://www.grandecearamirim.blogspot.com/)


##################
##################
Hoje...

Railton Câmara

Diz o ditado que “filho de peixe, peixinho é.” Esse jovem músico é a prova disso. Filho do casal Robério e Mocinha  Câmara, ele, músico que marcou época tocando guitarra no grupo Os Formigões, sucesso em Ceará-Mirim na década de 1970; ela, vocalista dos grupos Skylab e Beija-Flor, que por aqui deram o ar da existência nas décadas de 70 e 80 respectivamente. Tai a cria. E tem talento!
##################
##################
Amanhã...

Nesse domingo, a partir das 8 da manhã, tem o programa Jovem Guarda Especial, na 87 FM. Com produção e apresentação do meu amigo Edvaldo Morais. Sucessos que marcaram aquele tempo em que “as canções usavam formas simples pra falar de amor.” E as grandes emoções com a música do rei Roberto Carlos. Imperdível!

Créditos:
Texto: Eliel Silva
Fotos 1, 2 e 3: cenas do filme Motociclistas Rebeldes
Foto 4: Cartaz do show de Railton (enviado por Ceicinha)
Foto 5: internet

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

O vôo da Fênix

“Essa moça ta diferente
Já não me conhece mais
Está pra lá de pra frente
Está me passando pra trás.”
(Essa moça tá diferente –
Chico Buarque de Hollanda)

Sâmya, cantando em um halloween,
com a banda Alma de Borracha



DAS CATACUMBAS

Ela foi descoberta pelo seu professor de inglês que, atento às suas inclinações para a música, convidou-a para um teste em sua lendária banda Alma de Borracha. A moça agradou em cheio, e assim Ionaldo Oliveira, feito um descobridor de talentos, trouxe Sâmya, a jovem cantora, para a cena musical da cidade.
O grupo Alma de Borracha tinha um histórico impressionante de tocar halloween, e a nova cantora entrou na onda underground. Com uma forte tendência e simpatia pelo black, e um repertório que ia do pop rock nacional e internacional, à baladinhas açucaradas executadas amiúde nas novelas de então, também dominando clássicos da época, com voz firme e com “aquele seu jeito sexy de ser”, Sâmya não demorou a conquistar uma legião de admiradores. Houve uma apresentação no mercado público, no projeto Quinta Cultural, em que o Alma de Borracha simplesmente mostrou a que veio.
Os primeiros passos, com Alma de Borracha

Pois é, mas e para onde foi a banda, então? Sabe como é, o sucesso traz a glória, mas também traz as desavenças, e assim começam os desencontros. E a fase áurea do grupo passou como o vento. De lá pra cá, Sâmya foi tentando se acertar com outros grupos. Propostas não lhe faltaram, e até chegou a arriscar uma carreira solo. Mas é tudo tão difícil. Ainda mais nessa terra dos Barões.
Agora em 2010 ela reaparece. Eu a ouvi pelo rádio, no Prata da Casa, que é uma iniciativa do diretor da Fundação Cultural Nilo Pereira, o senhor Waldeck Moura. Esse programa radiofônico tem a proposta de dar vez e voz aos artistas da terra; é levado ao ar pela 87 FM, às 10 horas, nas manhãs de domingo. Quando o apresentador Edvaldo Morais anunciou a atração daquele dia 12 de setembro, fiquei ansioso, porque eu já conhecia o trabalho da artista e suas performances com a banda, mas assim num estúdio, arriscando uma interpretação em playback, seria inédito para mim. Na primeira canção executada ela já me deixou de quatro, pra usar uma expressão bem original de roqueiro. Nada daquele pop rock grudento e tão adorado pela massa juvenil. A "nova" cantora encarava uma MPB rebuscada, com arranjos próprios e interpretação idem. Só me restou entrar na fila dos que tentavam quase que sem sucesso, uma ligação para a emissora a fim de lhe cobrir de elogios. Finalmente consegui, depois de muitas tentativas, e meio abobalhado dei-lhe o meu parecer.
A intérprete, com seu esposo, o músico Eidson
À tarde, em evento promovido pelo Goto Seco ela estava lá. Aí então pude conferir ao vivo e em cores “baixar o santo” na moça. Summertime, da Janis Joplin, foi qualquer coisa de surreal.
Meninos e meninas, jovens músicos da minha terra, vão escutar Sâmya Rafaela cantar! Ela é uma artista já pronta. E sabe o que mais, se for difícil imitá-la na maneira de cantar, ao menos tentem copiá-la na simplicidade e no seu carisma. Aí sim, vai ter muita gente boa tocando por aqui, e teremos motivos de sobra para sair de casa em busca de um bom show.
"Abrindo espaço" para os amigos
 
Créditos:
Texto: Eliel Silva
Fotos 1 e 2: Acervo do Alma de Borracha (Profº Ionaldo)
Foto 3: Edvaldo Morais (do Portal Grande Ceará-Mirim
- olha aí, Waldeck, copiei SEM autorização)
Fotos: 4 e 5: Eliel Silva (evento do Goto Seco)

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Gente nada inocente

“Meu pai tentou encher de fantasia
E enfeitar as coisas que eu via
Mas aqueles anjos agora já se foram
Depois que eu cresci.
Da minha infância agora tão distante,
Aqueles anjos no tempo eu perdi...”
(Traumas Roberto e Erasmo)

É(ra) tão lindo

Quem não se lembra daquela canção tão singela, interpretada em dueto pela Simony e Roberto Carlos, no disco A turma do Balão Mágico, no ano de 1984! A letra de É tão lindo diz assim: “Se tem bigodes de foca, nariz de tamanduá. / (Parece meio estranho, heim!) / Também um bico de pato / e um jeitão de sabiá. / Mas se é amigo, não precisa mudar. / É tão lindo, deixa assim como está...” Tem coisa mais pura e sincera que isso?
O tempo passou para todos. Nesse meio-tempo o rei provou da alegria e da dor. Felizmente conservou intacta a sua sensibilidade no tocante ao melhor da vida: a amizade, a fé, o amor... A menina Simony cresceu, se agigantou, e foi ficando cada vez mais distante daquela infância pura.
Na semana passada li uma matéria que falava de um incidente envolvendo a ex-princesinha da Turma do Balão Mágico. Candidata a deputada estadual pelo PP, no estado de São Paulo, Simony se desentendeu com Roberta Maia, filha de Reinaldo Maia, candidato ao mesmo cargo pelo PTC. A matéria dizia: Roberta acusa Simony de a ter "unhado". Para quem já foi também um dia capa da Playboy, hoje, seja em qual for a área, a moça parece querer manter a qualquer custo o seu status de “gata”.
Roberta Maia e Simony

Agora, só pra conferir e matar a saudade daquele tempo, segue na íntegra a letra da canção:


É Tão Lindo (It’s Not Easy)
(Alkasha - J. Hirschor - Versão: Edgard B. Poças)
Gravação: Simony – Participação Especial: Roberto Carlos


Se tem bigodes de foca
Nariz de tamanduá
Parece meio estranho, heim!
Também um bico de pato
E o jeitão de sabiá
Mas se é amigo
Não precisa mudar
E é tão lindo
Deixa assim como está
E eu adoro, adoro
Difícil é a gente explicar
Que é tão lindo
Se tem bigodes de foca
Nariz de tamanduá
E orelhas de camelos né, tio!
Mas se é amigo de fato
A gente deixa como ele está
É tão lindo, não precisa mudar
É tão lindo, é tão bom se gostar
E eu adoro
É claro
Bom mesmo é a gente encontrar
Um bom amigo

São os sonhos verdadeiros
Quando existe amor
Somos grandes companheiros
Os três mosqueteiros
Como eu vi no filme

É tão lindo, não precisa mudar
É tão lindo, deixa assim como está


E eu adoro e agora
Eu quero poder lhe falar
Dessa amizade que nasceu
Você e eu
Nós e você
Vocês e eu
E é tão lindo


- Tio
- Heim!
- É legal ter um amigo, né?
- E maravilhoso
Mesmo que ele tenha
Bigodes de foca e até um nariz de tamanduá
- E orelhas de camelo, tio, lembra?
- Orelhas de camelo?
- É tio
- É mesmo, orelhas de camelo!
Mas é um amigo, né?
- É
-Então não se deve mudar.

Créditos
Texto: Eliel Silva
Fotos: internet

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

sábado, 11 de setembro de 2010

Peso ilusório

Balada de um homem magro

Hoje, caminhando pela feira livre da cidade (sem querer parodiar o velho João André de guerra), fui recebendo e guardando vários santinhos de candidatos que me iam sendo entregues. Com a educação que recebi eu não ia recusar essas ofertas, mesmo sabendo que para mim seriam de pouca serventia, e em hipótese alguma queria contribuir para com a sujeira da cidade. Bom, entre santinhos e algumas propagandas de casas de comércio, fiquei “carregado”. Já na hora de voltar pra casa, passando por uma farmácia, fui conferir o meu peso numa antiga balança. Não que eu me preocupe com isso, mas me bateu essa idéia. Para minha surpresa, o ponteiro daquela balança, tão magro quanto eu, me mostrou um resultado que me animou. Eu havia adquirido um pesinho a mais. Desconfiado, tratei de passar numa outra farmácia e averiguar numa outra balança mais moderna, uma digital. Surpresa! O peso era o mesmo. Fui embora satisfeito. Chegando em casa tratei de me “despir” dos montes de papéis que lotavam os meus bolsos e corri para o banho. Nesse ínterim, caí na real, percebi que assim voltava a ter os meus míseros 58 quilos.
Texto: Eliel Silva
Ilustração: internet

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Sem apadrinhamento

Samba composto por Erasmo Carlos em homenagem ao Rei é eliminado de disputa



O samba que o cantor Erasmo Carlos compôs em homenagem ao amigo Roberto Carlos, que será enredo da escola de samba carioca Beija-Flor, foi eliminado na noite da última quinta-feira (9/9). Roberto chegou a publicar o samba do amigo em seu site oficial, mas a campanha parece não ter surtido efeito.
A etapa final que vai decidir o samba que a Beija-Flor vai apresentar na Marquês de Sapucaí no carnaval de 2011 vai acontecer no dia 14 de outubro, na quadra da escola. Roberto Carlos já confirmou presença na festa da escolha do samba.
Fonte: UOL – Celebridades - http://celebridades.uol.com.br/ultnot/2010/09/10/samba-composto-por-erasmo-carlos-em-homenagem-ao-rei-e-eliminado-de-disputa.jhtm

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

O destino da Humanidade

O pensador francês Edgar Morin vem a Natal proferir a conferência “O destino da humanidade”, que acontece no próximo dia 17 de setembro às 19 horas na Praça Cívica do Campus Universitário, juntamente com apresentação da Orquestra Sinfônica da UFRN. O evento faz parte das atividades da Cátedra Itinerante Unesco “Edgar Morin” para o Pensamento Complexo (CIUEM), que tem no Grupo de Estudos da Complexidade / Grecom – vinculado aos programas de Pós-Graduação em Ciências Sociais e em Educação da UFRN – o seu primeiro ponto na América Latina.
O objetivo principal do evento é reunir acadêmicos, pedagogos e estudantes da rede pública e privada de educação para retomar a aposta de Edgar Morin na reforma da educação: um sujeito múltiplo para uma educação complexa. Portanto, todas as pessoas interessadas, do campo da educação básica à superior, podem participar do evento.
Formado em História, Geografia e em Direito, Morin é um pensador inclassificável, múltiplo, um “eterno estudante”. Um pensador que politiza o conhecimento, homem para quem só pode haver "ciência com consciência”, professor que expõe suas incertezas e acredita na “boa utopia”, na reforma da universidade e do ensino fundamental. Um educador para o presente e o futuro. Consciente de que a construção de uma sociedade mais justa e igualitária só é possível por meio de uma nova e complexa compreensão do mundo, Morin tem apostado nos últimos anos na reforma do sistema educacional. Os livros Os sete saberes necessários à educação do futuro (Editora Sulina), A cabeça bem-feita (Editora Bertrand-Brasil) e A religação dos saberes (organizado por ele e publicado pela Bertrand-Brasil) mostram seu investimento prioritário na educação.

Evento: Conferência “O destino da Humanidade”

Data: 17 de setembro de 2010
Horário: 19 horas
Local: Praça Cívica Campus – UFRN.

* Enviado por Ilton Soares

terça-feira, 7 de setembro de 2010

História do Brasil

Pedro Américo fez o quadro para decorar uma sala
do Museu do Ipiranga (ou Museu Paulista)

Sugestão de leitura: A invenção do grito – nesse endereço: http://www2.uol.com.br/historiaviva/reportagens/a_invencao_do_grito.html

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

"Gimme Some Truth"

Antologia de John Lennon incluirá 13 gravações inéditas
Sands 22.ago.1980/AP
O cantor John Lennon chega ao estúdio
The Hit Factory, em Nova York,
em agosto de 1980

Treze gravações caseiras inéditas de John Lennon, algumas versões ao vivo e de ensaios escritos serão incluídos na antologia "Gimme Some Truth", que chegará às lojas em 4 de outubro para comemorar o 70º aniversário do nascimento do beatle.
A EMI informou hoje em seu site os detalhes da reedição das gravações que John Lennon fez sozinho após o fim dos Beatles em 1970.
O projeto inclui a publicação da caixa "The John Lennon Signature Box", com oito álbuns da carreira solo de Lennon que foram remasterizados a partir de fitas originais.
Com a supervisão pessoal da viúva do artista, Yoko Ono, a coletânea faz parte da celebração do nascimento de John Lennon que em 9 de outubro completaria 70 anos.