-

"Engolimos de uma vez a mentira que nos adula e bebemos gota a gota a verdade que nos amarga." Denis Diderot

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Nosso adeus

“Eu estou voando, estou voando
Como um pássaro, através do céu.
Estou voando, passando por nuvens altas,
Para estar com você, para ser livre.
(SailingGavin Sutherland)

Professor Betão

Professor Betão, ou "Betônico", como o costumava chamar nos tempos do 15º NURE, quando com ele trabalhei, sua amizade e respeito para comigo foram suficientes para que eu guardasse até hoje essa admiração por você. Além do mais, incontáveis foram as vezes em que você me deu algumas dicas preciosas, corrigindo o meu "português ruim". Obrigado por tudo, meu professor. Tudo tem seu tempo. Se é chegada a sua hora, muito embora nos custe aceitar essa realidade, que você vá em paz!


Créditos:
Texto e foto: Eliel Silva

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Quadrinhos

 "Esta é a história de Johnny Furacão
Cara que bem cedo desejou ser campeão
Vivia alimentando esse desejo profundo
Na pista ele queria ser o maior do mundo."
(Johnny Furacão - Erasmo Carlos / Roberto Carlos)


Canção de Roberto e Erasmo inspira história em quadrinhos

MARCO AURÉLIO CANÔNICO

Há canções que nos acompanham ao longo dos anos, mesmo que involuntariamente, e acabam marcando.
No caso do artista plástico e quadrinista mineiro Eduardo Filipe, 39, isso aconteceu com a música "Johnny Furacão", um rockinho de Roberto e Erasmo Carlos, lançado em 1969.
A canção tanto martelou em sua cabeça que acabou servindo de inspiração para criar a história em quadrinhos "A Balada de Johnny Furacão", lançada pela editora Flâneur.
"Essa música me acompanhava desde a infância", diz Filipe, mais conhecido pelo nome artístico, Sama.
"Minha irmã tinha um compacto de 'Sentado à Beira do Caminho' e, de vez em quando, tocava o lado B, que era 'Johnny Furacão'. Aquele som de carro de corrida e a letra meio trágica da música me chamavam a atenção. O final fica em aberto, e foi aí que eu entrei."
De fato, a HQ de Sama --que será lançada no início de julho na Mercearia São Pedro, em São Paulo-- começa pelo fim da música, com um acidente durante uma corrida de carros.
A partir daí, segue por um rumo independente da canção, no que o autor define como "uma aventura de ação que vira um suspense, com toques sobrenaturais".

REFERÊNCIAS DE CINEMA
"A Balada de Johnny Furacão" é centrada em um trio: Alex, filho do melhor amigo do personagem-título, e o casal Igor e Carol.
Seus caminhos se cruzam por acaso e, uma vez juntos, embarcam em uma viagem com surpresas e final incerto --uma viagem na qual o autor se incluiu mentalmente.
"Eu me coloquei como participante do grupo que viaja, registrando a viagem de modo documental", diz Sama, citando o estilo do cineasta chinês Wong Kar-Wai (de "Um Beijo Roubado" e "Amor à Flor da Pele") como uma influência.
Sua HQ é pontuada por referências cinematográficas tanto quanto musicais.

MODO DE FAZER
Escrevendo o roteiro à medida que "viajava" com suas criações, Sama desenhou usando aguada (um tipo de técnica em que a tinta é diluída em água).
Isso permitiu que ele criasse traços mais livres e tivesse mais autonomia para conduzir a história.
"Com exceção dos carros e dos personagens, o resto é mais impressionista. Fica algo mais genérico, não fotográfico, como se fosse um sonho", ele afirma.
Sama não teve a chance de conversar com os autores da canção sobre a HQ, mas fez um exemplar chegar às mãos de Erasmo Carlos, o intérprete da música.
"Pelo que eu tive de resposta, ele gostou do meu projeto. Isso me deixou tranquilo, porque, no fundo, é mesmo uma homenagem", explica o quadrinista.

A BALADA DE JOHNNY FURACÃO
AUTOR Eduardo Filipe (Sama)
EDITORA Flâneur
QUANTO R$ 32 (146 págs.)
LANÇAMENTO dia 2/7, às 19h, na Mercearia São Pedro (r. Rodésia, 34, tel.0/xx/11/3815-7200)

Fonte: FOLHA.com

* Johnny Furacão - lado B de compacto lançado no primeiro semestre de 1969.

terça-feira, 28 de junho de 2011

Registrando

"Hei, você que tem de oito a oitenta anos
não fique aí perdido, como ave sem destino
Pouco importa a ousadia dos seus planos,
eles podem vir da vivência de um ancião
ou da inocência de um menino
O importante é você crer na juventude
que existe dentro de você.
Meu amigo, meu compadre, meu irmão,
escreva sua história pelas suas próprias mãos."
(Como Diria Dylan - Zé Geraldo)

No último dia 17/06,  Edvaldo Morais, concluinte da graduação em  Turismo pela Faculdade de Ciências, Cultura e Extensão do RN – FACEX/Natal, apresentou à Banca Examinadora o seu Trabalho de Conclusão de Curso/ T.C.C,  com o tema “Ceará-Mirim e o Roteiro dos Engenhos – Turismo no Vale  Verde.” 

A banca esteve formada pelos Professores Ilton Soares (de Ceará-Mirim), Salete Gonçalves e Maria Páscoa, que aprovaram a Monografia com a média 8,2.  Os colegas de turma Neto e Sandra Barros estiveram presentes e registraram na câmera do celular este importante momento na vida acadêmica do Tio Ed. 

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Revival


"Dizem que Roque Santeiro, 
Um homem debaixo de um santo, 
Ficou defendendo o seu canto e morreu, 
Mas sei que é ainda vivente,
Na lama do rio corrente,
Na terra onde ele nasceu."
(Roque Santeiro - Sá e Guarabyra)

"Roque Santeiro" volta ao ar em julho após 26 anos


LAURA MATTOS
DE SÃO PAULO


Clássico da televisão brasileira, "Roque Santeiro" volta ao ar - após 26 anos - em 18 de julho, no canal Viva.
A Folha aproveita a reestreia da novela, que seduziu público e crítica, para resgatar a trama não menos intrigante de seus bastidores.
Enquanto na tela a briga se dava entre Roque Santeiro (José Wilker) e Sinhozinho Malta (Lima Duarte), por trás das câmeras os antagonistas eram Dias Gomes (1922-1999), o mais importante escritor da Globo na época, e Aguinaldo Silva, então com 42 anos, começando na TV.
Lima Duarte (Sinhozinho Malta) e Regina Duarte (viúva Porcina) durante gravação do último capítulo da novela
Dias fez "Roque Santeiro" em 75, mas a novela foi censurada. Em 85, cansado do ritmo da TV, chamou Aguinaldo para trabalhar na nova versão, sob sua supervisão.
"Roque" explodiu, era vista por mais de 80% do público. Tornou-se fenômeno de ibope e faturamento.
A rivalidade surgiu quando a imprensa passou a fazer reportagens sobre o sucesso. Dias começou a ficar irritado, achando que Aguinaldo se colocava como pai da ideia.
O rumo da história passou a dividi-los e, segundo a Folha apurou, por pouco "Roque" não foi outra novela. 

* Matéria completa em: 
http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/934777-roque-santeiro-volta-ao-ar-em-julho-apos-26-anos.shtml


Fonte: FOLHA.com

domingo, 26 de junho de 2011

Devagar... divagando


Móbile consolador

A moça cantava no templo com aquela sua voz aguda. As vezes a empolgação era tanta que parecia desafinar. Quis mexer no dial do meu som, mas me contive. Seria uma desfeita muito grande ao Criador. Foi quando o pregador começou a fazer sua prática. Num canto da casa o vento agitou o móbile que eu conservo há um bom tempo, pois o seu som metálico, puro e simples me faz bem. Uma paz me invadiu. O dia começou melhor assim.

Créditos:
Texto e foto: Eliel Silva

sábado, 25 de junho de 2011

Dois anos sem o rei do pop

Michael Joseph Jackson
(Gary, 29 de agosto de 1958 — Los Angeles, 25 de junho, de 2009)

Dois anos sem Michael Jackson


Exatamente dois anos atrás, o mundo perdia Michael Jackson, aquele que durante sua vida ostentou o título de rei do pop. Mesmo após sua morte, o cantor não perdeu a majestade: ganhou um filme exibido mundialmente nos cinemas com fragmentos de ensaios e preparativos daquela que viria a ser sua última turnê This is It (2009, dirigido por Kenny Ortega), um álbum póstumo (Michael, 2011, que inclui duetos com Akon, 50 Cent e Lenny Kravitz) e outros projetos esperam ser lançados, só dependem da liberação da justiça.

* Matéria completa no link abaixo:
http://www.jb.com.br/cultura/noticias/2011/06/25/dois-anos-sem-michael-jackson-relembre-a-carreira-do-rei-do-pop/

Fonte: Jornal do Brasil

sexta-feira, 24 de junho de 2011

RESTAURA A MINHA IGREJA


Arraiá da Restauração é no próximo domingo

O Arraiá da Restauração acontece no próximo domingo (26), a partir das 17h, no Largo Frei Damião. O evento tem por objetivo angariar recursos para as obras de reforma da Igreja Matriz. 
Serão 08 tendas com bolos, milhos e derivados, espetinhos, bebidas (sem álcool), atrativos infantis (pescaria, algodão doce, picolé, palhaço, lancheira), tortas e salgados, exposição dos prêmios da Ação entre Amigos e coordenação do evento.
A Ação entre Amigos está sendo vendida ao preço de R$ 5,00 e sorteará em três chamadas: um balaio tradicional, um kit de eletrodomésticos (com liquidificador, batedeira, grill, espremedor de frutas, ferro elétrico, conjunto de panelas, faqueiro 50 peças, jogo de jantar e ventilador) e uma cozinha.
A animação musical fica por conta de Guto e Forró Universitário, trio pé-de-serra e apresentações culturais de quadrilhas e danças juninas.

Para ajudar na angariação de recursos, está sendo promovida uma Ação entre Amigos, ao preço de R$ 5,00, com os seguintes prêmios:
1º PRÊMIO – Um balaio junino típico
2º PRÊMIO – Um balaio com kit doméstico (liquidificador, batedeira, grill, espremedor de frutas, ferro elétrico, conjunto de Panelas, faqueiro (50 peças), jogo de jantar e ventilador)
3º PRÊMIO – Uma cozinha montada
Os bilhetes podem ser adquiridos nas comunidades ou setores paroquiais. Ao adquirir um bloco com 10 unidades só precisa prestar conta de 09, ou seja, um sai inteiramente grátis.
Fonte: Site da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição – Ceará-Mirim/RN (Link ao lado)

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Corpus Christi


A celebração de Corpus Christi (Corpo de Cristo) surgiu na Idade Média e consta de uma missa, procissão e adoração ao Santíssimo Sacramento. Quarenta dias depois do Domingo de Páscoa é a quinta-feira da Ascensão do Senhor. Dez dias depois temos o Domingo de Pentecostes. O domingo seguinte é o da Santíssima Trindade, e na quinta-feira é a celebração do Corpus Christi.
É uma das mais tradicionais festas do Brasil e é comemorado no país desde a chegada dos portugueses.
Tapetes na Rua Dr. Meira e Sá (C. Mirim - 2010)
É de sonho e de pó (e muita fé)
A tradição de fazer o tapete com folhas e flores vem dos imigrantes açorianos. Essa tradição praticamente desapareceu em Portugal continental, onde teve origem, mas foi mantida nos Açores e nos lugares onde chegaram seus imigrantes, como por exemplo Florianópolis.
O barroco enriqueceu esta festa com todas as suas características de pompa. Em todo o Brasil esta festa adquiriu contornos do barroco português. Corpus Christi é celebrado desde a época colonial com uma profusão de cores, música expressões de grandeza.
No Brasil, a tradição de se fazer os tapetes de ruas acontece em inúmeras cidades, geralmente com voluntários que começam os preparativos dias antes da solenidade e varam a noite trabalhando. Veja a seguir algumas cidades onde é possível encontrar esse tipo de arte popular.
Fonte: Portal da Família

Tarde de reggae

Cultura Roots
Cultura Clube(por trás do Teatro Alberto Maranhão)
Dia 26/06(Domingo) Às 17 horas
Show: Reggae Boca da Mata (C.Mirim) + Eternamente Jah(Natal)

terça-feira, 21 de junho de 2011

RAUL VIVE

"Sonho que se sonha só,
é só um sonho que se sonha só,
mas sonho que se sonha junto
é realidade."
("Prelúdio" - Raul Seixas)

Parabéns ao nosso amigo Erivan Lima “Seixas” que hoje está aniversariando. Erinho, como popularmente é conhecido, é um exemplo de perseverança, pois numa cidade onde impera o poder dos “barões”, hoje, não tanto dos engenhos, mas da política e cargos afins, realizar um evento como o Tributo a Raul Seixas há vinte e dois anos, com os parcos recursos oferecidos, é motivo de orgulho e de admiração. Por isso nossos sinceros parabéns a esse baluarte da nossa cultura e dos eventos alternativos. Você faz parte do nosso show.
Em tempo: Ao contrário do que muitos podem achar, Raul Seixas não morreu. Ele está vivo em nossos corações e em nossas lembranças, e sempre que tocarmos ou ouvirmos uma canção sua, é sinal de que ele está bem mais presente e atuante do que muitos artistas emergentes que autointitulam-se THE BEST. Toca Raul!

Dia 20 de Agosto: 22º Tributo a Raul Seixas
Centro Esportivo e Cultural

Créditos:
Texto e fotos: Eliel Silva

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Quem diria


The Platters, famoso grupo vocal da Era do Rock and Roll. Formado em Los Angeles, 1953, chegou a vender mais de 53 milhões de discos e está, desde 1990, no Rock And Roll Hall of Fame.
Originalmente formado por Tony Williams, David Lynch, Alex Hodge, o grupo passou por várias alterações na sua formação
Entre seus sucessos, destacam-se "Only You", "My Prayer", "The Great Pretender", "You’ve Got The Magic Touch", "You’ll Never Know", entre outros.
Tony Williams saiu do grupo em 1961 e foi substituído por Sonny Turner. Zola Taylor também saiu e foi substituída por Sandra Dawn. Paul Robi foi substituído por Nate Nelson em 1966.
David Lynch e Paul Robi morreram de câncer em 1981 e 1989 respectivamente. Buck Ram morreu aos 83 anos, em 1991, e Tony Williams, em 1992. The Platters continua se apresentando até os tempos atuais.
Tommy Smiley se juntou ao Platters em 1978 e foi o responsável pela imortalização da música "Only You". O vocalista faleceu em 4 de março de 2006, aos 59 anos, no México, vítima de uma parada cardíaca decorrente de uma crise de asma.
Fonte: Wikipédia

Nota do blog: O grupo estará em Natal, no dia 28 de julho de 2011, quinta 21h, no Teatro Riachuelo. Seja qual for a formação atual, vale a pena conferir. (Dependendo do preço do ingresso, claro!). 

domingo, 19 de junho de 2011

A gente aguarda


Chico Buarque, que completa 67 anos neste domingo (19), celebrará seu aniversário em Paris. De acordo com a coluna “Direto da Fonte”, do jornal “O Estado de S. Paulo”, o cantor viajou sozinho para a capital francesa. 
Além de comemorar a data, Chico também se dedicará ao término da gravação de seu mais novo CD. Segundo ainda à coluna, ele só retornará ao Brasil em julho. 

Fonte: quem news

Mensagem


MENSAGEM DE ELIZABETH CAMPOS
PELO BLOG JOVEM GUARDA:

Parabéns pelo programa Jovem Guarda. Por alguns instantes tive saudades da minha adolescência na "pracinha", onde os jovens se encontravam todos os sábados e domingos. Era o local para os papos, paqueras e encontros com o namorado ou amigos, Êta que saudade! Que pena que os nossos filhos não poderão desfrutar desses momentos com seus amigos. Hoje, infelizmente, aos jovens estão sendo oferecidos apenas BARES... Entristeço-me porque estão sendo incentivados a beberem, apenas. E seus destinos?
Um outro aspecto lamentável é o conteúdo da maioria das músicas curtidas pelos nossos jovens. Música boa, de conteúdo, cabe a nós (pais e educadores) fazê-los conhecer; incentivá-los a gostar. A sociedade atual está carente de verdadeiros valores; por isso está sendo bem mais complexo a tarefa de educar. É urgente a necessidade do incentivo aos nossos artistas da educação, da música, do teatro, do cinema. 

sábado, 18 de junho de 2011

Canto triste

Filho do vocalista do "Biquíni Cavadão" é uma das vítimas fatais de acidente na Bahia


A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa da banda


Bruno e Gabriel


O filho do cantor Bruno Gouveia, líder da banda Biquíni Cavadão, foi uma das vítimas do acidente que deixou quatro mortos e três pessoas desaparecidas em Porto Seguro. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa da banda.
Gabriel Kfuri Gouveia, de 2 anos e sua mãe, Fernanda Kfuri, ex-mulher de Bruno estavam no helicóptero com destino à Fazenda Jurumã, onde funciona um resort. Tanto Gabriel quanto Fernanda morreram no acidente. A assessoria não informou sobre se o músico está na Bahia para reconhecimento dos corpos.
Luca Kfuri de Magalhães Lins, 3 anos, primo de Gabriel e a babá das crianças, Norma Batista de Assunção, 49 anos, também estão entre as vítimas. As buscas por Mariana Noleto, namorada do filho do governador do Rio de Janeiro, Jordana Kfuri Cavandish, irmã de Fernanda e mãe de Luca, e pelo piloto Marcelo de Almeida continuam neste domingo. 

Fonte: CORREIO - O que a Bahia quer saber

Longe daqui



Poema da volta

Preciso voltar para o mar
Para renovar minhas energias
Agradecer a Iemanjá
Por tanta alegria.

Também saudarei a Jah
E a todas as energias do bem
Irei me embriagar de mar
Enquanto o mar não vem.

Mas não vou para qualquer lugar
Irei ao infinito, para um lugar azul
Vou me encontrar com Deus
Lá na prainha, em Maracajaú.

Ilton Simôa
Colaborador do Movimento Alternativo Goto Seco

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Adeus Ravel

Cantor Ravel sofre infarto e morre em São Paulo

Músico estava tomando banho em casa quando teve o ataque cardíaco fatal; corpo foi enterrado nesta sexta


Morreu, aos 64 anos, no início da tarde de quinta (16) na capital paulista, o cantor Eduardo Gomes de Farias, o Ravel, da dupla Dom e Ravel, sucesso da década de 1970. Segundo familiares, Ravel sofreu um infarto no momento em que tomava banho em sua residência. Os bombeiros ainda foram acionados, mas o ataque cardíaco foi fulminante.
O corpo de Ravel foi enterrado nesta sexta-feira, no Cemitério do Araçá, região da Consolação, na capital. Ravel deixou a mulher Rejane, com quem estava casado há 37 anos, e uma única filha, Priscila. Eustáquio Gomes de Farias, o Dom, faleceu em dezembro de 2000, vítima de um câncer de estômago.
Os irmãos nasceram em Itaiçaba (CE) e mudaram-se ainda pequenos para São Paulo, na década de 1950. Eduardo foi apelidado de Ravel por um professor de música, por causa de sua aptidão para a arte.
Ingressando na carreira artística por volta do início dos anos 1960, a dupla, já como Dom & Ravel, lançou em 1969 o primeiro LP, "Terra boa", que trazia a canção "Você também é responsável", transformada, dois anos depois, pelo ex-ministro da Educação, Jarbas Passarinho, no hino do Movimento Brasileiro de Alfabetização (Mobral).
Mas seria na virada dos anos 1970 que dupla atingiria seu maior sucesso, através de sua composição "Eu te amo meu Brasil", gravada pelo conjunto Os Incríveis. Entre os outros sucessos, estão "Animais irracionais", "Só o amor constrói" e "Obrigado ao homem do campo".
Fonte: Último Segundo - Cultura
http://ultimosegundo.ig.com.br/cultura/musica/cantor+ravel+sofre+infarto+e+morre+em+sao+paulo/n1597033692467.html

Nas ondas do rádio


A RÁDIO MORAL DE CEARÁ MIRIM-RN ESTÁ NA INTERNET COM SUA PROGRAMAÇÃO AO VIVO 24HS PARA TODO O MUNDO E VOCÊ PODE OUVIR PELO:  www.valeverdefm.blogspot.com

NESTE SABADO, 18/06, TEM TRANSMISSÃO AO VIVO DIRETO DO MERCADO CENTRAL DA CIDADE, CHEGADA DO TREM DO FORRO AS 19HS E EM SEGUIDA TRANSMISSÃO AO VIVO DA VAQUEJADA DO PARQUE LOURIVAL PEREIRA COM PISADA DE BAKANA, DEIXE DE BRINCADEIRA E FORRÓ DO BOM APARTIR DAS 23 HS.

SE LIGUE NA VALE VERDE FM 87,9 A RÁDIO MORAL DE CEARÁ MIRIM!!!

 Sandro Karlos
Programação Rádio Vale Verde  fm 87,9 - Ceará Mirim
Contato: (84) 9174 7799 / (84) 3274 3578

Sorte grande

Roberto Carlos dá carro para Tom Cavalcante no valor de R$250 mil

O humorista foi presenteado pelo "Rei" com um Corvette


Roberto Carlos prestigiou o show de Tom Cavalcante nessa quarta-feira (15), em São Paulo. Na plateia do espetáculo “No Tom do Tom”, o cantor riu muito e foi homenageado pelo humorista em diferentes momentos. Ao final da apresentação, o “Rei” surpreendeu Tom com um presente: um Corvette 2011 branco, em retribuição aos shows que havia realizado nos cruzeiros do projeto “Emoçoes em Alto Mar”, sem  receber cachê.
Supreso com o presente generoso, cujo valor gira em torno de R$ 250 mil, Tom chorou e declarou sua admiração ao artista: “Foi um dia memorável! Já estava emocionado com a nobre presença do "Rei" na minha plateia e, ao final, ser surpreendido com um carro de presente foi demais. Me deixou sem palavras. Tanto carinho e desprendimento só podiam ter partido dele. Roberto não é só um amigo. Roberto é um irmão.”
 
Fonte: iG Gente

Relicário

Raridade de 1984, disco de Waldick cantando Roberto é lançado em CD

Embora pouco conhecido na discografia de Waldick Soriano (1933-2008), o álbum merece ser redescoberto e tem detalhes interessantes
Hagamenon Brito | Redação CORREIO


Primeiro lançamento da extinta gravadora Arca, inaugurada por Ary Carvalho em 1984, o disco Waldick Soriano Interpreta Roberto Carlos estava fora do mercado há 26 anos. Pelo selo Discobertas, do jornalista, pesquisador e produtor carioca Marcelo Fróes, ele ganha sua primeira edição em CD.
Embora pouco conhecido na discografia de Waldick Soriano (1933-2008), o álbum merece ser redescoberto e tem detalhes interessantes, a começar pela responsabilidade dos arranjos e regências do trabalho: Eduardo Lages. É o maestro de Roberto, com quem trabalha desde 1977.

Interpretados pela voz inconfundível de Waldick Soriano, os clássicos compostos pelo Rei e Erasmo Carlos (que completou 70 anos domingo) ganham, quase todos, o andamento abolerado que marcou a obra do autor de pérolas como Eu Não Sou Cachorro, Não e A Dama de Vermelho.

Privilégio 
Poucos intérpretes brasileiros tiveram autorização de Roberto Carlos para gravar discos com canções do seu repertório. Waldick Soriano foi o primeiro grande nome masculino a merecer tal privilégio, integrando um time que tem também as divas Nara Leão (1942-1989) e Maria Bethânia. As duas lançaram releituras em 1978 e 1992, respectivamente. A própria edição agora em CD contou com a autorização do Rei.
Com 12 faixas, incluindo os medleys Como Vai Você/Os Seus Botões/Outra Vez e Desabafo/Seu Corpo/Falando Sério, o repertório de álbum reúne Não Se Esqueça de Mim; Proposta; Café da Manhã; Amada Amante; Escreva uma Carta, Meu Amor; Esqueça; A Distância; Não Quero Ver Você Triste; Cavalgada; e Eu Quero Apenas.
Gravada originalmente por Roberto no disco Jovem Guarda (1965), e composta por Pilombeta & Tito Silva, a ingênua Escreva uma Carta, Meu Amor vira um precursora do arrocha baiano na versão de Waldick. O mesmo acontece com Esqueça (1966), versão de Roberto Corte Real para Forget Him.

Brega
Baiano de Caetité, no sertão do estado e a 757 km de Salvador, Waldick Soriano trabalhou como lavrador, engraxate e garimpeiro antes de se tornar cantor popular de muito sucesso na década de 60. Um dos maiores ícones da chamada música brega, pois não.
O que hoje chamamos de brega romântico - canções de sentimentos exacerbados sobre brigas de amor, rotina de solitários e encontros e desencontros amorosos - não nasceu com a Jovem Guarda, nos anos 60. Suas raízes aparecem, por exemplo, nos arroubos operísticos de Vicente Celestino (décadas de 20, 30 e 40); e nas músicas de Adelino Moreira imortalizadas por Nelson Gonçalves a partir do final dos 50.
Mas, próximo ou no rastro da Jovem Guarda, foi que floresceram artistas muito populares como Waldick, Wanderley Cardoso, Antonio Marcos, Paulo Sérgio, Márcio Greyck, Nelson Ned, Agnaldo Timóteo e, mais tarde, José Augusto, Fernando Mendes e Amado Batista, entre outros.
Como Roberto liderou a Jovem Guarda e é o maior ídolo da história da música romântica brasileira, toda essa turma teve influência do Rei em algum momento de sua carreira. Portanto, nada mais natural que um dia Waldick Soriano tenha gravado um disco homenageando RC. Sobre Waldick, que criou um personagem machão que lembrava um cowboy do sertão, vale a pena ver o documentário Waldick, Sempre no Meu Coração (2007), de Patrícia Pillar.

Fonte: CORREIO / O QUE A BAHIA QUER SABER
http://www.correio24horas.com.br/noticias/detalhes/detalhes-1/artigo/raridade-de-1984-disco-de-waldick-cantando-roberto-e-lancado-em-cd/

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Tô voltando

"Pode ir armando o coreto
e preparando aquele feijão preto
eu tô voltando...
(...)
Dá uma geral, faz um bom defumador,
enche a casa de flor
que eu tô voltando..."
(Tô Voltando - Paulo César Pinheiro - Maurício Tapajós)

terça-feira, 14 de junho de 2011

Paciência

Olá, meus amigos... Olá, minhas amigas... Dei uma passadinha aqui no Retratos e Canções só para confirmar que continuo com problemas com o meu PC. Desconfio que foi um vírus que causou todo esse transtorno. E o que é pior: ao que parece, foi intencional. Mas a vida tem dessas coisas, não é mesmo? Tudo passa. Continuo tentando solucionar o problema, o que não é fácil, pois vocês sabem muito bem que funcionário público não está com essa bola toda, e no nosso estado e em nossa cidade, então. Agradeço aos que me param na rua e perguntam pelo blog, pelas postagens. Eu só peço calma, "vai dar tudo certo". Bom, pelo menos comigo, sim. Disso eu não tenho dúvida. Já tentei dar seqüência às postagens, acessando de uma lan house, como faço agora, mas confesso que não é a mesma coisa. Fico sem concentração, tudo me perturba. Além do mais, computador para mim é como vaso sanitário, só me sinto bem usando o meu. Brincadeiras à parte, é isso mesmo. A gente se vê...
Eliel Silva

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Sucata

Aviso

Problemas no meu computador me impedem de atualizar o blog. Agradeço a compreensão de todos.

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Gira girou

O texto a seguir é uma salada originada a partir da música Mundo Bom, da autoria de Agepê e Canário, interpretada pelo próprio Agepê. Ainda foram usadas na receita as músicas Roda Viva, de Chico Buarque, Fora de Ordem, de Caetano Veloso, e Êta Mundo Grande, de Martinho da Vila. Chico, Caetano e Matinho, creio, dispensam apresentações. Quanto a Agepê, algumas palavras são necessárias. Antonio Gilson Porfírio, mais conhecido como Agepê, nasceu no Rio de Janeiro em 10 de agosto de 1942 e faleceu em 30 de agosto de 1995. Sambista de primeira categoria, dono de um repertório eclético e bem escolhido, teve em Canário seu grande parceiro nas composições. Entre seus grandes sucessos estão: Menina dos Cabelos Longos, Deixa Eu Te Amar e Moro Onde Não Mora Ninguém. Um artista digno dos aplausos que recebeu.
As frases em destaque são trechos literais extraídos das músicas citadas.
Vamos ao texto e boa leitura. Espero que saboreiem o prato.


Mundo Bom

É noite. Ando pelas ruas de uma Campinas fria e nua. As mãos não ousam sair dos bolsos do agasalho. Imagens desconexas surgem em minha mente, algumas côncavas outras convexas. No caos organizado de minhas idéias ouço a voz suave e macia de Caetano. Não dou bola. Prossigo. Ele insiste:
_  Ei, alguma coisa está fora da ordem, fora da nova ordem mundial. A coisa parece que se tornou mais grave. Alguma coisa está fora da ordem emocional.
_ Cara, e eu com isso? – Pergunto.
_ Acorda! Sai do reino da fantasia. Você faz parte disso tudo. Eu faço parte disso tudo. Nós fazemos parte disso tudo.
_ Ah, me deixa em paz, vai. Só quero curtir o frio da noite numa cidade nua. Não me venha com comidas indigestas!
De repente, não sei como, surge por entre as árvores da praça, Chico Buarque montado num cavalo alado, com sua fala suave, porém, firme:
_ A gente quer ter voz ativa. No nosso destino mandar, mas eis que chega a roda viva e carrega o destino pra lá.
Num passe de mágica o tempo roda, num instante, nas voltas do meu coração. Rodou o mundo, rodou o moinho, rodou o pião, na palma da minha mão. A cortina fechou e abriu rapidamente. O cenário mudou e eu estava à beira de um rio onde corre leite e mel. Ao meu lado, vestido de branco, estava um Agepê tranqüilo e sereno.  Cantava com a autoridade de um profeta a clamar no deserto. A mensagem em forma de música se misturava às minhas próprias reflexões.
Eta, mundo velho e bom, bonito, colorido, boa praça.
O mundo nasceu assim. Um paraíso feito para o homem. Imagina o Brasil quando do descobrimento! Que cenários paradisíacos que não deveria ser isso aqui! Milhares de quilômetros de Mata Atlântica! Puro verde. Verde-mar! Fartura de alimentos puros e saudáveis. Sem agrotóxicos. Sem trans qualquer coisa. Coisa de Adão Eva. Mas, daí veio às maças envenenadas da ambição desmedida, da corrupção desenfreada, do lucro a qualquer custo... E o que era paraíso está virando inferno. Que pena! Mas ainda há tempo de salvar este santuário chamado terra. È hora de uma tomada de consciência. E, normalmente, sem querer dar uma de super-herói, a gente consegue. Ah, se consegue!
Atrás do lado feio da vida há coisas lindas pra se ver. Quero ver.
Enxergar o sol no meio da tempestade. Não deixar a peteca do otimismo cair. Bola pra frente.  É uma atitude a ser adotada por todos nós. Afinal como diz Martinho da Vila, na música Êta Mundo Grande Eta mundo grande, cheio de beleza,com esta imensa natureza, que o Bom Deus criou, esse mundão foi feito pra se vadiar, mas o que vale nesta vida, é o que se faz, o que se sonha, e o que se ama”. Mas aí, moçada “vadiar”, vai aí, no sentido de brincar, se divertir, vamos com calma, ok?
Gira mundo, vai girando, roda mundo vai rodando, roda gira, gira roda, me leva pra qualquer lugar. No eixo do meu dia-a-dia te deixo me fazer cantar.
Pois é, às vezes da vontade de pegar a roda vida e fugir nela pra bem longe. Sabe aquela estória tipo ilha deserta? Porém, realidade rima com gravidade, prende os pés da gente no chão. Que chato! O jeito é fugir para o universo da música e apreciar a constelação dos sons.
Tem gente que não entende que a vida é feita de açúcar e sal, de chuva e sol.  Quem sabe arrancar o veneno do peito e sair satisfeito por aí, faz da vida um carnaval.
É amigo, pensa que a vida é só melzinho na chupeta, ramalhete de flores, etc e tal? Que nada! Também tem espinhos, pedra no caminho, tem bofetada na cara, tem as tais das decepções, tem lagrima chorada. Não é mole não! Mas não precisa fazer estoque de veneno no peito por causa disso. Você será vítima dele se assim fizer. Ao contrário: bota uma roupa bonita, um perfume cheiroso, dá aquela levantada na auto-estima e vem pra roda de samba, ou vai pra Maracangalha. Você decide. O importante é estar bem!

Agepê subiu. E eu voltei às ruas de Campinas corri atrás de Caetano. Enquanto ele desaparecia em uma esquina, ainda foi possível ouvi-lo dizer:
Eu não espero pelo dia em que todos os homens concordem. Apenas sei de diversas harmonias bonitas, possíveis, sem juízo final...
Fiquei ali, parado naquela esquina, pensando: realmente, alguma coisa deve estar fora da ordem...
José Flávio
Campinas/SP